Logo
18 Setembro, 2021       LISBOA - MAX. Breezy this morning; otherwise, mostly sunny and pleasantº, MIN. 02º

 
D S T Q Q S S
1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30
Dossiers  |  Herdade de Mingorra em foco
Herdade de Mingorra em foco
Nathalie Amey
Herdade de Mingorra em foco

Caros leitores,
Percorramos um pouco os trilhos do Alentejo, onde os frutos do Douro se cruzaram com esta terra no coração da Herdade de Mingorra.
Henrique Uva (um nome já predestinado) concretizou um projecto ambicioso quando criou a Herdade de Mingorra, em 2004, a sul de Beja e a cerca de 200 km de Lisboa. 
Há anos que as uvas desta propriedade eram revendidas; o uso que delas se fazia não evidenciava a sua qualidade, por isso, Henrique Uva decidiu fazer o seu próprio vinho. Um desafio pessoal, com todos os aspectos financeiros que isso implica; foram investidos 2 milhões de euros.
As videiras que formam o vinhedo têm 30 anos, o que não deixa de ser algo invulgar para esta região que só se abriu à produção vitícola nos anos 80.
130 hectares de vinha cobrem 10% da propriedade, 60 hectares de cepas velhas, e o resto com plantações mais recentes, com 25, 15 e 4 nãos.
Para além dos 130 ha de vinha, a propriedade comporta 150 ha de oliveiras, 125 ha de irrigação de pivô central (a irrigação de pivô central é um sistema de rega aérea que produz chuva artificial); o resto é cultivo tradicional e floresta.
Está em construção um projecto enoturístico.
A minha curiosidade foi aguçada pela conjunção das duas regiões mais conhecidas de Portugal, e que resultam num vinho chamado “Uvas Castas”, procedente a 50% das castas do Douro: Tinta Barroca, Tinta Roriz e a 50% de castas do Alentejo: Aragonês, Alfrocheiro e Alicante Bouschet.
Razão pela qual este vinho não poderá obter a classificação DOC “Denominação de Origem Controlada” mas sim “Vinho de Mesa”, que, de resto e neste caso preciso, não tem nada de pejorativo. A ideia veio a Henrique Uva, pelo facto da sua avó ser proprietária de vinhas no Douro; uma tentativa tornada êxito. A uva vindimada é transportada durante a noite até ao Alentejo, onde é realizado todo o processo de vinificação.
A fermentação é controlada meticulosamente, e o vinho que dela resulta descansa em casco de carvalho francês durante um ano.
Foram somente produzidas 5000 garrafas em 2006.
O vinho “Uvas Castas” revela a sua complexidade logo no primeiro tempo da análise olfativa, com uma dominante nitidamente virada para aromas do Douro.
Na boca, uma boa estrutura, com frutos vermelhos compotados (muito maduros).
Um "vin de garde", amadurecido de 5 a 7 anos, a apreciar servido a uma temperatura de 18°C, que carece ser arejado antes de ser provado, e merece acompanhar carnes assadas ou grelhadas e queijos.
Uvas Castas, um vinho que encontrará nas adegas por um preço rondando os 25€.
Outro vinho, “Vinhas d’Ira” merece um parêntese pois procede dum “talhão” (vinha antiga onde as diferentes variedades de uva não eram dissociadas, pelo que não se sabe a identidade das uvas, no entanto originárias do Alentejo a 100%). O “Vinha d’Ira” é um vinho bem equilibrado, compotado, simultaneamente macio e amplo, que se pode apreciar sozinho ou acompanhado dum prato de porco preto ou de javali. Em 2004, só foram produzidas 8 200 garrafas e encontra-se nas adegas por cerca de 30€.
Para terminar, sublinharei que os vinhos de lançamento de gama da da Herdade de Mingorra apresentam um qualidade excelente comparativamente ao seu preço, sendo a política da casa ter os seus vinhos apresentados em todas as mesas. Não obstante, e olhando com estrangeira, devo dizer que, em Portugal, é preciso deixar de lado a ideia feita de que um vinho caro é sistematicamente garantia de grande qualidade gustativa. A Herdade de Mingorra é o exemplo mesmo da excelente relação qualidade-preço que os vinhos portugueses podem oferecer, e merece incontestavelmente ser conhecido.
O nosso próximo artigo: « Encontro com o produtor ».
Aproveite a oportunidade de provar os vinhos da Herdade de Mingorra, na companhia do respectivo produtor. Convido-a a juntar-se a nós no dia 29 de Janeiro, do Hotel Inglaterra no Estoril, das 18h00 às 21h00. A seguir à  prova, realizar-se-á uma tertúlia à volta duma "table d’hôte".

Mais informações.

Herda da Mingorra - Trindade
7800 - 761 Beja. Tel: 284 952 004, Fax: 284 952 005 geral@mingorra.com , www.mingorra.com

 

Fotos fonte: www.mingorra.com


  
© 2007  LIVINGINLISBON.COM  - Todos os direitos Reservados